SAI

Atração de investimento estrangeiro: importante pilar da política de desenvolvimento econômico

Por Daniella Abreu

Secretária executiva da SAI

Você já parou para pensar porque o Brasil e outros países, sobretudo os emergentes, se preocupam tanto em atrair investimento estrangeiro? E você sabe o que o capital gringo pode fazer pelos seus próprios investimentos?

Os olhos do mercado e da imprensa especializada estão sempre atentos à entrada e saída de dólares do país. Com a perspectiva de aprovação de reformas e uma consequente retomada da atividade econômica, é grande também a expectativa para uma entrada mais massiva de investimento estrangeiro no Brasil. Mas estes, por enquanto, permanecem cautelosos e ainda não vieram com tudo. Seja como for, a atração de capital externo é sempre uma preocupação de governos e agentes de mercado. Mas qual o motivo disso ser tão importante para a economia?

A atração de Investimento Estrangeiro Direto (IED) é um importante pilar da política de desenvolvimento econômico, e a maioria dos países no mundo estabeleceu agências nacionais de promoção de investimento (IPAs) com o mandato de atrair e aumentar o IED. O investimento estrangeiro direto contribui para o desenvolvimento econômico por meio de seu impacto direto no aumento do investimento de capital, criação de empregos, exportações, divisas e receitas fiscais e através de seu impacto indireto sobre fornecedores locais, transferência de tecnologia, produtividade, inovação e boa governança.

As atividades de promoção de investimentos desempenham um papel fundamental não apenas para atrair o IED inicial, mas também para aumentar os benefícios de longo prazo para o país ou estado anfitrião. Já suas melhores práticas são os programas de promoção de investimentos inovadores e de muitas maneiras replicáveis no mundo todo.

O investimento estrangeiro em um país pode tomar basicamente duas formas: investimento direto ou via mercado de capitais. O primeiro é o de longo prazo, por meio de ações como a compra de grandes participações em empresas locais, abertura de filiais de multinacionais, construção de fábricas e obras de infraestrutura. Já o investimento via mercado de capitais normalmente visa prazos mais curtos. Inclui, por exemplo, a compra de títulos de dívida pública e privada, além de pequenas participações acionárias em empresas locais na bolsa de valores. Os dois tipos são cobiçados e podem beneficiar os seus investimentos. Para começar, a entrada de recursos estrangeiros contribui pra equilibrar as contas externas do país e a cotação do real frente ao dólar.

O investimento estrangeiro pela via financeira ajuda a aumentar os volumes negociados e a liquidez dos ativos nos mercados de bolsa e renda fixa, além de gerar uma demanda maior pra emissões de novos títulos e ações, estimulando até mesmo a entrada de novas empresas no mercado de capitais. O maior apetite por investimentos financeiros tende a aumentar as opções disponíveis para pessoa física.

O capital estrangeiro pode se tornar mais ou menos relevante dependendo do contexto da economia do país. Num ambiente onde o Brasil tem buscado abrir cada vez mais a sua economia para o mundo, temos muito por fazer nesta área de atração de investimentos internacionais, uma vez que poucos estados possuem agências específicas destinadas a esta função.

Quando reunimos todos estes fatores, percebemos o quão importante e estratégico é o papel do IED como potencial de contribuir positivamente em aspectos importantes de um país e alavancar o desenvolvimento econômico e social, e por isso merece atenção dos governos.

Percebendo esta oportunidade, em Santa Catarina, o Invest SC foi concebido justamente para desenvolver de forma profissional e estruturada a atração e acompanhamento dos investidores, nacionais e internacionais, e a Secretaria Executiva de Assuntos Internacionais está junto nessa parceria que inclui a Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável e toda a equipe do Governo do Estado para captar, ainda mais, projetos de investimentos e novos negócios para o território catarinense.

 

Quer saber mais? Visite o nosso site http://sai.sc.gov.br